Turismo espacial: veja como foi a viagem ao espaço de Bezos e sua tripulação


  • Nenhum comentário
  • Academia Nerd

O homem mais rico do mundo foi para o espaço e voltou com as mãos sobre um novo negócio: turismo espacial

Nesta terça-feira, 20, o homem mais rico do mundo foi para o espaço – e voltou com as mãos sobre um novo negócio. Fundador da Amazon, Jeff Bezos embarcou no primeiro voo com outros tripulantes a bordo da Blue Origin, sua empresa de exploração espacial. Com o feito atingido com sucesso, o bilionário se coloca de vez na corrida espacial, uma área na qual vinha comendo poeira de rivais como Elon Musk, da SpaceX, e Richard Branson, da Virgin Galactic.

Em apenas 10 minutos e 10 segundos, a viagem foi concretizada com sucesso: a nave tocou o solo terráqueo às 10h22. O lançamento ocorreu às 10h12. A separação da cápsula ocorreu às 10h16 e o lançador voltou à Terra e tocou o solo às 10h19 – o voo atingiu velocidade máxima de 3.595 km/h. Os paraquedas da nave se abriram por volta das 10h20. Ainda perto do local de pouso, a equipe comemorou com champanhe o sucesso da viagem.

Na manhã desta terça, a Blue Origin indicou que o voo estava confirmado para o horário programado, condições climáticas sempre podem alterar a programação de viagens espaciais, o que não foi o caso desta vez. A viagem teve transmissão pela internet.

O foguete New Shepard foi lançado com quatro passageiros: Jeff Bezos, o irmão Mark Bezos, Wally Funk (pioneira do setor aeroespacial de 82 anos) e Oliver Daemen (estudante de física de 18 anos). Foi cerca de 10 minutos de viagem, que teve três etapas: o lançamento do foguete, a separação da cápsula com os passageiros e o retorno da tripulação à Terra em queda livre com paraquedas em direção à mesma região de onde partiu. Faltando 45 minutos para o lançamento, a equipe seguiu em direção rumo ao foguete para o embarque, o que inclui um trajeto de duas milhas de carro e a subida na estação de embarque.

Após a realização da viagem do patrão com sucesso, a Blue Origin comemorou o feito no Twitter.

No evento após o voo, que contou com as filhas do astronauta Alan Shepard, os quatro receberam o broche dedicado apenas a astronautas, uma tradição americana relacionada à exploração espacial. “Quero agradecer os engenheiros da Blue Origin, que fizeram um trabalho incrível em construir o mais confiável e divertido veículo, a cidade de Van Horn e a cada funcionário e cliente da Amazon. Vocês pagaram por isso aqui”, disse Bezos.

“Minhas expectativas eram altas, mas foram drasticamente superadas. A gravidade zero parecia algo natural. A parte mais profunda da viagem foi olhar a Terra. Todo astronauta diz que isso muda a perspectiva quando você olha toda beleza e fragilidade da Terra”, disse.

Diferentemente dos voos para a Estação Espacial Internacional, que está em órbita a 408 km de distância da Terra, a nave New Shepard fez uma viagem suborbital: o objetivo era cruzar a linha de Karman, a 100 km de altitude, que, por convenção internacional, marca o início do espaço sideral. A cápsula atingiu a marca com sucesso e bateu 107 km de altitude.

A viagem colocou a Blue Origin no mapa da exploração espacial privada, uma disputa que vê outras empresas na dianteira. Entre elas estão a SpaceX, de Elon Musk, e a Virgin Galactic – a empresa capitaneada por Richard Branson que realizou com sucesso no último dia 11 um voo suborbital com a presença do bilionário de 71 anos. Na madrugada desta terça, Elon Musk enviou uma mensagem de boa sorte à tripulação da Blue Origin.

Após o voo, Richard Branson, da Virgin Galactic, congratulou a equipe da empresa rival.

Os preços de um assento em uma nave da Blue Origin ainda são um mistério – a empresa ainda não revelou os valores oficiais dos voos. Oliver Daemen, estudante de física que comprou seu lugar no foguete, não divulgou o quanto pagou. Por enquanto, o parâmetro do preço para um assento na nave é um leilão de US$ 28 milhões, abocanhado no mês passado por um milionário desconhecido, que acabou desistindo desta viagem por motivos de “agenda”. Já a Virgin Galactic irá comercializar os seus voos por US$ 250 mil.


Mais do Portal F5


  • Academia Nerd

Mudança silencionsa no Whatsapp gera confusão entre os usuários

Uma mudança silenciosa no WhatsApp afetou a forma como as conversas são arquivadas e já gera confusão entre...

  • Academia Nerd

Disney plus é acusada de promover pirataria

A Associação Nacional dos Donos de Cinema dos Estados Unidos está acusando a Disney de...

  • Academia Nerd

Streaming’s provocam e disputam clientes do Netflix após aumento nos planos

O público reclamou em peso nas redes sociais pelo aumento dos preços dos serviços prestados...

Você não pode copiar esse texto.