Novo projeto de mineração deve gerar 500 vagas


  • Nenhum comentário
  • Destaques

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema) publicou Edital de Convocação para Audiência Pública no município de Água Azul do Norte para informar à comunidade sobre o Projeto Pedra Branca, desenvolvido pela Vale Dourado Mineração Ltda, empresa que faz parte do grupo Avanco.

A Audiência Pública será dia 10 de maio, às 9 horas. Na oportunidade estará disponível o Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) do projeto, que pode ser encontrado no endereço eletrônico da Sema. (Clique aqui para acessar o relatório)

Projeto Pedra Branca

É um empreendimento de exploração mineral, mais especificamente de cobre, ouro e prata, localizado no município de Água Azul do Norte, na Região Norte do Brasil, Estado do Pará, em uma área de 3.195,07 hectares. Basicamente, o empreendimento prevê a exploração mineral por meio de lavra subterrânea dos minérios e a instalação de uma planta de beneficiamento.

De acordo com o RIMA, o projeto Pedra Branca deve integrar o Plano de Mineração do Estado do Pará 2013-2030 da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Mineração (SEDEME) do Governo do Estado do Pará.

Pedra Branca está situado a menos de 100 quilômetros ao sul de Parauapebas e 30 quilômetros a leste de Canaã dos Carajás, este último município faz parte da Área de Influência Direta (AID) do projeto, assim como a sede de Água Azul do Norte e as seguintes localidades: Vila Feitosa (35 famílias), Assentamento Brasília (39 famílias) e as fazendas ao longo do trajeto até a área do empreendimento. Essas áreas, portanto, estarão suscetíveis aos impactos diretos com a execução da atividade de mina.

O município com maior número de habitantes é Canaã dos Carajás, com 26.716 pessoas, já a população de Água Azul do Norte, que será o principal arrecadador de impostos  oriundos da atividade de mina, é de 25.057 pessoas, segundo o IBGE 2010, totalizando 52 mil pessoas aproximadamente nas duas cidades, de acordo com dados do IBGE.

 

O pode mudar para a população?

Durante a implantação do Projeto Pedra Branca as atividades de cortes em solo/rocha, circulação de máquinas e equipamentos e retirada da vegetação, poderão causar alterações no cotidiano dos moradores em relação à circulação de pessoas e sobrecarga nas principais vias de acesso das áreas de influência.

Para a operação da mina subterrânea serão ofertados 443 postos de trabalho, resultando em aumento da renda para as famílias dos contratados e consequentemente dinamizando a economia local. Por outro lado, parte desses trabalhadores poderá ser trazida de outras regiões do Estado, aumentando a procura por moradia, saúde e educação.

Porém, é importante saber que a dinamização da economia e a arrecadação de impostos nesta etapa contribuirão de forma positiva para a melhoria dos serviços públicos nos municípios da área de influência. Conforme detalhado no Estudo de Impacto Ambiental (EIA), algumas dessas alterações serão sentidas por um período de tempo pequeno e outras mudanças podem ser de caráter permanente.

Dentre os compromissos da mineradora descritos no RIMA estão: priorização de contratação do maior número possível de mão de obra local; realização de treinamentos e capacitação para os trabalhadores da região; estabelecimento de parcerias com o poder público para desenvolver ações conjuntas nas áreas de Saúde, Educação, Transporte, Segurança, dentre outras.

Com informações da Sema-PA

 


Mais do Portal F5


  • Destaques

Adolescente Mata Família em SP e Choca a Comunidade Local

Um adolescente de 16 anos chocou a cidade de São Paulo ao confessar ter assassinado...

  • Destaques

Programa de Formação Profissional da Vale Expande Oportunidades

A Vale lançou um Programa de Formação Profissional (PTP) para capacitar indivíduos com as habilidades...

  • Destaques

Câmara de Parauapebas aprova campanha contra crimes cibernéticos

A Câmara Municipal de Parauapebas aprovou uma campanha de conscientização e prevenção contra crimes cibernéticos....

Você não pode copiar esse texto.